Independência ou Morte


“Independência ou Morte”

Arnaldo Mourthé

Com essas palavras, D. Pedro, então príncipe regente, assumiu uma atitude responsável, necessária a quem tem autoridade, tornando-se Imperador do Brasil e herói nacional.  D. Pedro deveria retornar a Portugal, para ser rei, restabelecendo o status colonial do Brasil. Mas ele preferiu nossa independência. Afinal, o Brasil havia sido decisivo para a grandiosidade do Império Português, e o salvou abrigando a realeza que fugira do exército de Napoleão. Não fosse a transferência da sede do reinado para o Brasil, ele se esfacelaria como aconteceu com o Império Espanhol.

Estamos vivendo outro momento decisivo da nossa história. Nossa independência está sendo ameaçada. Não apenas por forças externas, mas por nossos próprios governantes e as chamadas “elites” brasileiras. Está se deslocando para Davos, na Suiça, uma grande delegação do governo brasileiro, tendo na sua testa Temer, Meirelles e Doria, o playboy prefeito de São Paulo. Vão todos participar do Forum Econômico Mundial, que reúne os homens mais ricos e as corporações mais poderosas do mundo com os governos dos países mais capitalizados. Nesta lista não deveria caber o Brasil, senão por suas riquezas cobiçadas por todos. Exatamente por isso estamos na sua agenda: Moldando a nova narrativa do Brasil. O Forum de Davos pretende fazer o papel do povo brasileiro. Definir nosso futuro, não o que queremos, mas o que os convém.

Chegou a hora de nós brasileiros assumirmos nossas responsabilidades de cidadãos desta Pátria, voltando a bradar com toda força de nosso peito as palavras de D. Pedro nas margens do Rio Ipiranga: Independência ou Morte. O momento é este, quando se abate sobre nós o chicote dos dominadores e de seus prepostos, os impostores no poder, com a negação de nossos direitos adquiridos a duras penas, ao longo de nossa história dolorosa, mas gloriosa. Davos exige a aprovação da “reforma” da Previdência, como condição para mandar dinheiro para salvar Temer e sua quadrilha. O resultado será a recolonização do país, cuja metrópole seria a capital da Besta do Apocalipse, a Wall Street

A missão “salvadora” a Davos, representa a continuidade da alienação do patrimônio nacional e a liquidação dos direitos sociais dos cidadãos brasileiros, que já foram terrivelmente penalizados com a “reforma” das leis trabalhistas. Ela visa comprometer-se com a entrega de todas as maiores riquezas do território nacional, e nosso próprio território habitado por nós, que seremos transformados em uma massa de trabalhadores sem direitos, servos do capital internacional. Isso é uma capitulação mais humilhante que a de uma nação derrotada numa guerra. Capitulação a um sistema financeiro, comandado por sociopatas que tentam destruir as conquistas da humanidade. Mergulharemos em condições piores que a do colonialismo português.

Todos nós somos responsáveis por isso que acontece no Brasil, alguns mais outros menos. Mesmo não tendo agido contra o Povo e a Nação, muitos de nós foram omissos ou negligentes. Poderíamos ter feito mais do que fizemos. Poderíamos ser menos individualistas e soberbos. Poderíamos ser mais fraternos do que fomos. Mas isso é passado, que deve ser perdoado. Mas o futuro, que começa agora, é de nossa responsabilidade. Sobre nossa omissão de agora não teremos como responder aos que virão depois. É preciso que deixemos para os futuros brasileiros, e para as crianças e jovens de hoje, pelo menos aquilo que nos foi legado por nossos antepassados: um País, uma Pátria e nossa Liberdade que, embora restrita, seja nossa.  E ainda a nossa independência, a Soberania da Nação, que mesmo modesta tem nos permitido avançar para um futuro melhor.

Não há mais espaço, nem tempo, para a omissão. Precisamos agir. Deixo aqui meu exemplo de ação, meus recados particulares e a todos nós brasileiros.

            Ao Senhor deputado Rodrigo Maia,

O senhor é um Presidente, presidente da Câmara de Deputados. Não é moleque de recados de Michel Temer, o impostor, nem tem deveres que não sejam com a Nação brasileira e seu Povo. Não aceite passivamente as pressões dos donos do dinheiro, que estão destruindo o Brasil. Não permita que seja roubado do nosso povo o direito de se aposentar. Tome uma atitude.

            Ao Senhor vereador César Maia,

O senhor fez muitas promessas de trabalhar em prol do povo brasileiro. Eu sou testemunha disso, nas nossas atividades partidárias e de governo. Qual é sua opção? Você e sua família passarão para a história como heróis, como D. Pedro I, ou como vendilhões da Pátria, tendo seu filho como instrumento do desmantelamento do Estado brasileiro e exemplo do desprezo ao nosso povo. Muitos estão famintos, desesperados ou morrendo, até na porta dos hospitais e pelas balas de bandidos ou, simplesmente, “perdidas”. Tudo isso são consequências de ações governamentais, especialmente desse governo perverso, corrupto e covarde, submetido ao poder do dinheiro. Se sua opção for a primeira, diga a seu filho o que fazer: rebelar-se contra os tiranos. Se for a segunda, só posso lamentar.

            Ao povo brasileiro,

Iremos agir, ou esperaremos por um “salvador da Pátria”? Se a opção for esperar, prepare-se para a servidão ou para a escravidão. Ainda restará a opção de ser capataz dos tiranos ou bate-pau para oprimir a população.

Tenho uma sugestão para nossa ação imediata, além do panelaço coordenado ao qual já me referi.  O poder, que aí está, se sustenta sobre a corrupção que controla o Executivo, o Parlamento e a imprensa. Sem esta última os dois outros suportes não ficarão em pé. Façamos, por experiência, uma greve contra a televisão. Fiquemos um dia sem ligar nossa televisão. Depois disso você conhecerá a força que tem e não se deixará dominar, por quem quer que seja ou o que for.

Chegou a hora da verdade: Independência ou morte!

Rio de Janeiro, 22/01/2018.

Comente você também

Name (necessário)

Email (não será exibido) (necessário)




10, outubro 2018 10:18

Porque o Xerife não pode ser presidente do Brasil

06, outubro 2018 13:59

Em defesa da vida e da dignidade humana

03, outubro 2018 11:07

Seu voto pode eleger seu inimigo!