Ao combate contra a tirania!


Ao combate contra a tirania!

Arnaldo Mourthé

Há um grupo de indivíduos, desqualificados e corruptos, empenhados em destruir nossa Sociedade, que a duras penas levamos 500 anos para construir. Essa sociedade não é apenas um grupo social, é um povo, reunido em um território, falando a mesma língua. Somos uma Nação. Essa Nação é nossa Pátria, que deve nos defender e que juramos defender, se preciso for com nossa própria vida. Mas tudo se passa como se fôssemos um amontoado de pessoas sem vontade e sem direitos. Mas não é assim. Somos os cidadãos dessa Nação, que tem nome, prestígio e glória. Nós somos brasileiros, somos o Brasil, nossa Pátria que está sendo desrespeitada e desmantelada. Não deixaremos que isso aconteça. Temos consciência disso, mas nem todos nós sabemos como podemos defendê-la e, assim, nos defendermos também. Aqui vai uma sugestão.

Experiências recentes mostraram que as manifestações de rua – embora muito eficientes para demonstrar nosso descontentamento – não têm sido eficazes para resolver nenhum de nossos problemas. Há sempre uma brutal repressão quando a população protesta contra o poder. Para justificá-la, os agentes do poder infiltram elementos perturbadores que causam baderna, com depredações e outros tipos de provocação. Isso coloca em risco as pessoas que se manifestam, e dá assunto para uma mídia mercenária tentar desmoralizar os atos populares. Isso gera, naturalmente, receio da parte daqueles que gostariam de demonstrar sua indignação contra os desmandos e as injustiças que nos são impostas. Somente aqueles em estado desesperador, por salários atrasados, insegurança e violência policial, se expõem nos protestos. A maioria da população sofre, mas não se sente em condições de reagir.

Propomos mobilizações gerais através de panelaços, com datas e horas marcadas pelas redes sociais. Há uma grande razão para fazer isso agora: a tentativa de destruir direitos garantidos por leis de mais de meio século, através da chamada “reforma da Previdência”, um eufemismo para esconder o objetivo de destruir nossos direitos de cidadãos, como já fizeram em relação à legislação trabalhista.

De dentro de nossos domicílios invioláveis, enquanto houver Estado de Direito, os nossos panelaços ecoarão pelas ruas, que o governo impostor a serviço de investidores estrangeiros não quer que nós ocupemos para protestar contra sua tirania. Eles nos desconsideram, como pessoas, como cidadãos, como filhos de Deus, na visão cristã. Entretanto, nós temos o poder de reverter esse quadro escabroso, que nos humilha, e mata muitos de nossos irmãos pelos descasos do governo em relação à saúde, à educação e à nossa segurança. A polícia, cujo papel é defender a pessoa do cidadão e seus direitos, é usada despudoradamente contra ele, ferindo-o, prendendo-o e humilhando-o, enquanto seus agentes, também cidadãos, são assassinados. Mas podemos enfrentar esse poder tirânico e vencê-lo com nossa criatividade. Façamos isso através de nossos panelaços, combinados e coordenados pelas redes sociais.

Comecemos já, em protesto contra a reforma da Previdência. Peça a cada cidadão, cioso de seus deveres, difundir essa ideia. Marquemos nossos protestos coordenados. Nós seremos imbatíveis se agirmos unidos, pois representamos 90% dos cidadãos brasileiros, que desaprovam esse governo e suas medidas contra todos nós e contra nossa Pátria. A nossa vontade ocupará as ruas com o som de nossos panelaços. Os tiranos serão abalados, até do outro lado do Planeta. Depois disso, é só pô-los para correr.

Rio de Janeiro, 17/01/2018.

Comente você também

Name (necessário)

Email (não será exibido) (necessário)




17, abril 2018 19:41

Introdução ao livro História e colapso da Civilização

15, abril 2018 16:47

A Lei e a Ordem - III

12, abril 2018 10:12

A Lei e a Ordem – II